Mangaká: Io Sakisaka
Editoras: Shueisha
Editora lusófona: Panini
Público alvo: Shoujo
Capítulos: 49
Volumes: 13
Ano: 2011 — 2015

Mangás, os famosos quadrinhos japoneses (ao qual eu já expliquei um pouco o que são aqui), são muito gostosos de ler quando estamos com pressa ou apenas querendo passar o tempo com uma leitura mais ‘leve’. Sendo assim, hoje venho com a nossa primeira resenha de mangá aqui na Tulipa Literária, vamos comemorar! O escolhido? O lindo romance entre Futaba Yoshioka e Kou Tanaka.

Nossa história de amor se inicia quando Kou e Futaba ainda estavam no Fundamental, quando ambos se gostavam, mas nunca haviam tido coragem de se declarar um para o outro até que inesperadamente Kou decide chamar a menina para um encontro em um dado festival. Contudo, como se não bastasse não aparecer no dia do encontro, o garoto acaba desaparecendo da vida de Futaba sem explicações — fato que a deixa triste consigo mesma por nunca ter tido coragem de se declarar para o rapaz antes.

Já no Colegial, Futaba passa por algumas situações muito delicadas quando se depara fazendo sucesso com os garotos devido a sua aparência, o que leva a menina não só a odiar garotos como também a ter uma relação em cordas bambas com suas supostas amigas que não aceitavam que ela fosse atraente. Por consequência disso tudo, Yoshioka se vê obrigada a criar uma personalidade rude e uma aparência desleixada para não ficar sem amigas. Tinha uma vida com uma falsa felicidade absurda que estava longe de se romper até se deparar com um garoto extremamente parecido com Tanaka no final do corredor, porém assinando com o nome de Kou Mabuchi.

Yoshioka entre em pânico e com toda razão! Como pode um garoto ser extremamente parecido com seu antigo amor e nunca ter percebido ou até mesmo falado consigo? Na primeira oportunidade que encontra acaba por confrontar o garoto e assim descobre que Kou Mabuchi e Kou Tanaka são na verdade a mesma pessoa.

Tal descoberta enche seu coração de esperança, mas logo ela some quando Kou revela que no passado gostava da menina, mas que agora seus sentimentos mudaram. Perceber que o rapaz já não é tão sorridente como antes, sendo muito mais frio, calculista e realista deixa Futaba realmente frustrada e chateada, principalmente por não conseguir mais engolir ser alguém diferente do que é apenas para agradar os outros. Sendo assim, decide de uma vez por todas que irá lutar pelo amor de Kou e também por trazer de volta o belo sorriso que o menino abandonou enquanto ela mesma busca amizades que aceite a si mesma como realmente é.


Eu sou completamente apaixonada por esse mangá, seja pelo seu enredo, seja pelos personagens ou ainda pelos desenhos maravilhosos que a Sakisaka faz com aquarela! Acho que ele trata de uma delicadeza tão linda questões familiares, perdas, força de vontade e o arrependimento de uma forma muito realista com personagens ainda mais realistas, o que é muito raro encontrar nos Shoujos da vida em minha opinião. É impossível não ler esse mangá e não terminar se identificando com algumas temáticas e o quão uma única ação pode mudar completamente sua vida, acaba sendo o tipo de leitura romântica que você pensa “realmente eu posso fazer diferente, então por que não faço?”. É fantástico!

Imagem: Integra
Uma curiosidade para os amantes de cinema é que o mangá ganhou uma adaptação para anime em 2014 contento 12 episódios e uma versão live-action no mesmo ano, tendo a maravilhosa Tsubasa Honda como Futaba e Masahiro Higashide como Kou. Todavia, vou confessar para vocês que eu não curti muito o anime e nem o filme. Acho válido assisti-los, mas faltou mostrar muitas coisas importantes em ambos os casos, por isso recomendo que primeiramente leiam o mangá!


Confesso para vocês que comprar toda coleção é um pouco cara, eu mesma só tenho o volume 13, porém na internet tem alguns sites que vocês podem ler online e tudo credenciado certinho, então não tenha desculpa e venha você também para o mundo dos quadrinhos japoneses!

Então até a próxima pessoal, deixo vocês abaixo com um desenho meu em aquarela que fiz do mangá ♥

Uma publicação compartilhada por Lis (@florde_campo) em

Deixe um comentário