Autora: Rebeca Sant’ Anna
Editora: Chiado
Páginas: 288
Ano: 2015
ISBN: 978989512895

Sabe aquele momento da vida que você não sente vontade de fazer absolutamente nada? Pois é, eu estava um pouco assim com os livros. Talvez por ter lido muitos livros de mesmo gênero, algo me faltava, e nessa busca de livros diferentes do que até então eu estava acostumada, encontrei Brightlights, escrito por uma das pessoas mais simpáticas que já conheci nessa vida, Rebeca Sant’ Anna.

Noah é o filho mais velho de Jim e Emily Louisin, tem uma pequena irmãzinha adorável chamada Eva e os quatro vivem em uma fazenda próxima a cidade de Absconditus. Possui um melhor amigo, Dam, e uma implicância questionável por Sabrina. Essa seria a descrição de uma vida perfeita para um comercial de televisão se não fosse por um problema: não havia nada de perfeito ali.

A família Louisin passava por severas dificuldades financeiras, já que Jim havia sido demitido do jornal e não escrevia nenhum livro grande para voltarem à paz econômica de antes. Emily se via pressionada pela situação e sempre deixava a jovem Eva aos cuidados do pai para que ela possa trabalhar e sustentar a casa. Noah acaba percebendo o esforço da família e por isso decide deixar a viagem da escola de lado e passar o feriado em casa com a família, mesmo que a ideia não o agradasse, assim ao menos pouparia dinheiro para os pais. Entretanto, o que ele não esperava para aquele feriado, ou melhor, o que todos os membros da família Louisin não esperavam para aquele feriado, era que rendesse um evento astronômico chamado Brightlights, na qual poderiam ver milhões de estrelas cadentes cortando o céu. Tal evento acabou marcando suas vidas para sempre já que uma misteriosa garota literalmente caiu do céu, mais especificamente no quintal deles e o mais misterioso ainda: havia sobrevivido a queda.

Penny, esse era o nome que deram a misteriosa garota, era de uma aparência muito magra e esbranquiçada. Baseava sua idade com a de Noah, contudo não sabia muito mais coisas que a pequena Eva. Porém, Penny é muito mais inteligente do que aparenta e tem muitos segredos que Noah, Jim, Emily e Eva terão que descobrir para poder entender o que afinal está acontecendo com suas vidas a partir dali. Um caminho com muitos perigos, muitas revelações e com um gostinho de quero mais a cada final de capítulo.

“Talvez fosse a hora de aumentar minha dose de remédios. Isso estava fugindo ao meu controle, afinal, Penny era muito surreal para ser humana, e muito inocente para ser real” – Brightlights

A primeira coisa que pensei quando terminei esse livro hoje de manhã foi “como assim ninguém está fazendo loucuras por ele?”, porque sério, é um dos melhores livros que eu li na vida. Fiquei extremamente apegada a Penny e a Noah, mas principalmente a Emily, que apesar de ter seus momentos de fragilidade, é uma mãe guerreira que enfrenta qualquer coisa pelos filhos e isso me fez pensar muito na minha própria mãe. Além disso, o livro também toca em um assunto pouco abordado pelas pessoas no dia-a-dia – e quando abordado muitas vezes é debatido de modo errado – que é *SPOILER* sobre a esquizofrenia *FIM DO SPOILER*. Achei muito interessante o modo como à autora apresentou os fatos na história e acho válido que as pessoas comecem a quebrar o tabu sobre isso também.

Outro personagem que me apaguei muito mesmo foi o Jim, pois apesar de todos dizerem “não” a ele, em nenhum momento ele desistiu de buscar seus sonhos por escrever um novo livro e isso serve de incentivo a todos que recebemos “não” até das pessoas mais próximas; se você acredita em si já é o suficiente por mais difícil que seja. Outro fato que me agradou muito no livro foi (desculpa sociedade) essa capa linda, maravilhosa! Acho que é uma das capas mais bonitas da minha estante. Creio que estou apaixonada por tudo nesse livro e isso me trouxe uma felicidade muito grande! ♥

Vou deixar aqui em baixo as redes sociais da Rebeca para que vocês possam entrar em contato com ela certinho para comprarem o livro e tudo mais!



Quero agradecer a Rebeca pela parceria e a hospitalidade comigo! Também quero registrar que apesar da parceria fui totalmente sincera sobre tudo no livro.

Deixe um comentário