Autora: Amy J. Fetzer
Editora: Nova Cultural
Páginas: 169
Ano: 2000
ISBN: -

O conto de fada “A Bela e a Fera” é um dos meus favoritos desde que eu era criança. Sério, amo esse conto e a lição valiosa sobre humanidade que ele nos proporciona. Conforme os anos foram passando o meu amor por essa história não diminuiu um só dia. Imaginava, na maioria das vezes, como seria a história se a mesma fosse contada em dias atuais e justamente por isso embarquei em uma longa jornada por livros que contassem uma versão moderna do conto. Foi assim que encontrei um romance de banca da série “Momentos Íntimos”. Busquei compra-lo, mas não achei em lugar nenhum (nem mesmo no Estante Virtual), optei pela leitura em pdf e não me arrependo, pois a história é extremamente genial.

Richard Blackthorne era um homem bem sucedido e de uma beleza tão atraente quanto sua conta bancária. Possuía uma linda esposa e tinha o que muitos chamariam de uma vida perfeita. Contudo, a fim de salvar uma mulher grávida de um trágico acidente, Richard acaba sofrendo danos que por muito pouco não o tiraram a vida. Como consequência de seu ato heroico ganhou graves cicatrizes por todo seu rosto. A mulher, incapaz de amar alguém que não tivesse uma boa aparência física, o abandona escondendo sua gravidez.

Richard vive isolado em sua mansão, tendo como companhia apenas um velho empregado. Porém, após quatro anos vivendo nas sombras, recebe a notícia que a ex-mulher veio a óbito e, mais do que isso, descobre que a mesma escondia por todo esse tempo a existência de sua filha, Kelly, agora sobe seus cuidados. Temendo assustar a garotinha com sua grotesca aparência, Richard pede a agência por uma babá e se surpreende ao descobrir que a escolhida foi a bela e atraente Laura Cambridge, ex-Miss, Rainha da Beleza.

Pobrezinha, pensou Laura, ao ver que a menina estava prestes a chorar. Carinhosamente, pegou-a no colo. O coração de Richard apertou-se ao ver como Laura carregava a menina nos braços, trazendo-a para casa. O olhar dele não conseguia afastar-se das duas, enquanto se aproximavam, e desejou poder estar com elas. A angústia cresceu, ao observá-las. Não fizera outra coisa o dia inteiro, mudando de uma janela para outra, atraído pelas risadas das duas. Laura parou nos degraus da entrada, olhando-o diretamente. Richard afastou-se da janela tarde demais. A expressão dela dizia claramente que era ele quem deveria estar ali 

Laura é uma mulher culta, inteligente e apaixonada por artes. Cansada de não ser nada mais do que um rostinho bonito para as pessoas, decide abandonar os holofotes de beleza e trabalhar como babá. Independe e amorosa, cuida de Kelly como se fosse sua própria filha e, mesmo achando um absurdo que Richard nunca mostrasse seu rosto a ela ou a sua filha, o defende fielmente da maldosa vizinhança – que nunca via nada, mas distribuía ardilosos comentários sobre o suposto “monstro” que Richard era. Assim que Richard descobre sobre Laura, uma bela mulher e não uma senhora idosa e enrugada, acaba por ficar nervoso. Não por ela ser bonita, mas por despertar em si desejos que o mesmo havia enterrado em seu íntimo há muito tempo, afinal quem amaria um monstro como ele?!

O livro segue com diálogos interessantes entre a “fera” e a “bela” sobre o que é ser feio ou bonito, sobre o quão a beleza é insignificante quando se trata de amor verdadeiro, além de aos poucos descobrirmos mais a fundo sobre cada personagem. Achei muito tocante o modo que Richard foi pouco a pouco se desabrochando como uma bela rosa vermelha não só para Laura, mas principalmente para Kelly. Você é capaz de compreender a angustia dele como pai e como homem, quando ele finalmente decide de fato mostrar seu rosto é muito emocionante. A autora soube trabalhar muito bem esse misto de delicadeza e sentimentos que a ocasião pedia, me surpreendendo a cada segundo.

— Está zangada com o papai? — perguntou Kelly, enquanto Laura segurava a mão dela.— Sim, querida.— Por quê? — Porque ele é... teimoso. — E orgulhoso, desconfiado. Queria que acreditasse nela, que confiasse nela. E que a beijasse, como na noite anterior.

Como todo romance de banca, o livro possui diversos momentos adultos um tanto quanto explícitos, porém isso não atrapalhou em nada o enredo. O final é muito emocionante e bonito, impossível não grudar nas páginas ansiosamente pelo desfecho. Livros adultos e/ou romances de banca não agradam a todos, é verdade, mas eu me surpreendi muito com esse. Caso você busca uma ardente história de amor ou uma versão moderna do clássico “A Bela e a Fera”, esse é o livro certo!

Deixe um comentário