Autora: Debra Carroll
Editora: Nova Cultural
Páginas: 157
Ano: 1996
ISBN: 9788535109238

Joanna é uma mulher que vive de obras de arte, apesar de ser de uma família da alta sociedade, contudo seu pai faleceu, é divorciada e sua mãe encontrava-se em coma. Entretanto, com certo milagre ou passe de mágica, sua amada mãe acorda do mesmo e temendo um trauma maior a ela, Joanna se vê obrigada a fingir que ainda é casada com o ex-marido. Convencer Reid, porém, a fazer tal sacrifício não é algo nada tranquilo, em especial por ambos terem muitos ressentimentos guardados no peito, mas também por ambos já estarem noivos de novos parceiros.

Devido a orientações médicas, a ex-sogra precisa passar um tempo em um ambiente natural e tranquilo, longe de problemas para recuperar-se por completo e que lugar melhor do que uma cabana no interior (totalmente romântico) para isso? Será que Joanna e Reid aguentarão sucumbir todos os sentimentos explicitamente implícitos que um sente pelo outro?

"O amor verdadeiro não era egoísta e destrutivo. Se tivessem mesmo se amado, nada os teria separado”.

Esse livro chegou até mim de uma forma inusitada: estava lendo uma fanfic baseada no livro e decidi conferi-lo por pura curiosidade. Confesso que nunca havia lido nada do tipo e foi extremamente chocante e surpreendente. Sou uma daquelas defensoras que acredita que toda forma de leitura é válida e não gosto que coloquem rótulos no tipo de gênero que eu deva ler, pois afinal devemos ler aquilo que sentimos bem e se me senti bem com esse livro qual o problema? As pessoas tem certo preconceito com essa literatura mais adulta e não dão chances a histórias ótimas como esta, algo muito triste.

O romance é encantador, não há um só minuto que não passei grudada em página pós-página, ansiosamente aguardando ambos se reconciliarem. O que não gostei muito, mas isso não difere muito na leitura, é que a história é previsível e basicamente pode ser um bom filme de comédia romântica dos cinemas (isso se já não for, não encontrei nada sobre o assunto). Todavia, apesar disso é uma leitura muito válida e apaixonante.

Deixe um comentário