Autor(a): Fernando Gabeira
Editora: Guanabara
Páginas: 188
Gênero: Drama; Autobiográfico
Ano: 1988
ISBN: 9788527701044

 Em 1964 o Brasil recebe a grande notícia que cortou a liberdade do povo brasileiro aos poucos com os atos institucionais (os AIs), acompanhados da censura e da intolerância: o Golpe Militar. Foram vinte e um anos de Ditadura Militar, bem dizer uma Guerra Civil Militar no país. Muitas mentiras, torturas, violências e manifestações foram os marcos da época.

 Mas daí agora você deve estar pensando o que é isso, companheira? O que isso tem de comum com a resenha? Pois eu lhe respondo: tudo. Fernando Gabeira era um jornalista do Jornal do Brasil no Rio de Janeiro. Não se considerava um guerrilheiro, mas era contra os militares.

 Ele participou de diversos movimentos, mas seu marco foi com o Movimento Revolucionário Oito de Outubro (MR-8), uma organização que tinha como principal objetivo a luta contra a repressão da ditadura, que atuava como uma guerrilha urbana e tornou-se conhecida pelo fato de ter sequestrado o embaixador norte-americano Charles Elbrick em troca da liberdade de alguns presos companheiros deles.

 Gabeira foi preso um tempo depois com alguns tiros que o acertou no rim e sofreu algumas torturas, como também as presenciou. Isso tudo você encontra no livro que o mesmo escreveu, “O que é isso, Companheiro?”, contando toda a trajetória dele neste período conturbado do país.

Saí pelo Flamengo e creio que se estivesse num romance chutaria uma pedra e atravessaria a rua de mão no bolso. Mas aquilo era o Brasil, eu não era um personagem e havia muito o que fazer para estar à altura dos amigos que partiam.

 O livro, como vocês podem notar, é um sanduíche totalmente recheado de conteúdos históricos, muito mais que uma aula de história, arrisco dizer, afinal você não só está aprendendo sobre o período como também vivencia cada emoção de quem viveu tudo aquilo e acredite, é de emocionar!

 Esse livro geralmente é considerado como “livro de vestibular”, mas vale a pena conferir mesmo sem ser para esses fins. Há também um filme (1997) baseado no livro, contendo o mesmo nome, com o elenco de artistas tais como Fernanda Torres, Fernanda Montenegro, Cláudia Abreu, Pedro Cardoso, Matheus Nachtergaele, Marco Ricca e Luís Fernando Guimarães, que vale muito a pena também.

Deixe um comentário