Autor(a):  Oscar Wilde
Editora: Penguin Companhia das Letras
Páginas: 260
Gênero: tragédia
Ano: 2012
ISBN: 9788563560438

       Imagine que você pudesse ficar jovem e bonito por todo o sempre, o que faria?! Algo parecido ocorre com Dorian Gray, um jovem que ganha um autorretrato de si mesmo em um quadro feito por Basil Hallward. Até aqui está tudo bem, é apenas um quadro de alguém muito belo aos olhos de todos, mas a mente invejosa de Lord Henry instiga o medo e o anseio do jovem Dorian de envelhecer e perder aos prazeres da vida devido a isso, por isso implora: quer que o quadro envelheça por si e carregue seus pecados, faria qualquer coisa por isso.
       Assim começa essa fabulosa história! Dorian é um jovem atraente cogitado por todos devido a sua educação e formalidade, mas principalmente pela beleza. É um personagem que tinha tudo para ser o galã, mocinho bom, porém, é extremamente de fácil influência devido à curiosidade por novos ensinamentos, se deixando corromper por vaidades, luxuria, o pecado em carne e osso.
       Quando Dorian percebe que o que fez, é extremamente agonizante e assustador para si. Por conta desse pacto perdera a chance de amar quando pode, teve uma vida de lasciva impiedosa, causou muitas desgraças. Contudo, durante os dias era apenas um jovem nobre da Inglaterra antiga.
       Agora Dorian tem uma vida dupla, quem paga o pato é sua alma instalada em seu próprio quadro. O que acontecerá quando sua alma é corrompida? Terá ela alguma chance de ser purificada? São algumas das dúvidas que Dorian tentará descobrir as respostas!
       O livro é um clássico e teve diversas adaptações cinematográficas, sendo uma das mais conhecidas interpretadas por Ben Barnes. Ele vai tratar sobre a vaidade excessiva das pessoas, a influência que se sofre devido a certas amizades e o que isso pode resultar quando se escolhe as pessoas erradas para seguir, o que mostra uma visão incrível que Oscar Wilde tinha na época, mas que pode ainda ser prosseguida nos tempos atuais. Uma história trágica que nos enche de reflexões.

Deixe um comentário