Autor(a): Soman Chainani
Editora: Gutenberg
Páginas: 252
Gênero: Literatura Juvenil
Ano: 2014
ISBN: 9788582351673

       Comecei este ano extremamente bem com a literatura, sendo minha primeira leitura o livro A Escola do Bem e do Mal que, além de me fazer rever os sentimentos pelos contos de fadas, ainda faz uma grande crítica a sociedade!
       A escola, como o nome já diz, é divida entre o bem e o mal. O responsável por essa divisão é o Diretor da Escola, que escolhe crianças de todos os reinos – filhos de príncipes e princesas, reis e rainhas, bruxas e bruxos – e os coloca em cada escola, de acordo com suas boas ou más ações. Quando formados, os alunos vão para a Floresta Sem Fim viver seus próprios contos de fadas.
 
       Porém, o Diretos da Escola também tinha uma tradição curiosa. De tempos em tempos ele visitava as crianças de Gavaldon de Além da Floresta, e raptava duas crianças, uma boa e uma ruim e as leva para a escola, sendo elas nunca mais capazes de voltarem para casa. Passado alguns anos que essas crianças são raptadas, a cidade recebe milhares de novos exemplares de contos de fadas e é nesses exemplares que as crianças desaparecidas são encontradas, como personagens dos contos mais conhecidos.
        É assim que conhecemos duas personagens, moradoras de Gavaldon, que são o oposto uma da outra. Sophie é “generosa” e “bondosa”, sua aparência é idêntica a de uma princesa e seu maior sonho é ir para escola do bem e do mal, a fim de se casar com um lindo príncipe e ser feliz para sempre. Já Agatha é “estranha” e “diferente”, mora em um cemitério, só usa roupas pretas e mantem uma cabeleira negra curta e oleosa. É dada como “bruxa” pelos moradores e não acredita em contos de fadas, muito menos na tal história do Diretor da Escola. O que essas duas têm em comum? São melhores amigas!
        Entretanto, em uma noite tomada por uma misteriosa neblina, Agatha percebe uma estranha sombra saindo de seu cemitério e indo em direção à casa de sua única amiga, Sophie, e mesmo não acreditando ela logo percebe a situação: o Diretor irá raptá-la. Desesperada para impedir tal feito ela corre contra o tempo para salvar a amiga, mas por obras do destino, ela também é “raptada” junto a Sophie – que esta totalmente feliz por isso. Mas adivinhe qual não foi à surpresa de ambas quando Agatha foi selecionada para o bem e Sophie para o mal?!
        Agora, separadas por uma barreira mágica, as duas precisarão por a amizade a prova e descobrir como voltarem para casa, abrindo mão de seus próprios sonhos, segundo Agatha. E claro, desfazer o possível “erro” da seleção das escolas, segundo Sophie.
        Amei esse livro e fiquei totalmente surpreendida pelo final, não esperada por aquilo! Vale muito a pena lê-lo, mesmo que pareça meio infantil, lembre-se que por trás de toda essa história há uma grande crítica para a sociedade. Pelo menos ao meu olhar, hehe!

2 Comentários

  1. Oi, Melissa!
    Já estou querendo ler esse livro desde quando estava disponível apenas em Inglês, e vibrei muito quando ele foi lançado pela Gutenberg! Pelo o que você falou, parece ser uma história realmente divertida e interessante por entre os contos de fadas - e curioso a mocinha boa cair na escola do mal, e a mocinha mais sombria, digamos, ir parar na escola do bem. Isso instiga bastante o leitor a saber o que há por trás de cada uma para essa decisão do diretor. Espero poder conferi-la ainda esse ano!

    Beijos,
    Sâmmy
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sâmmy!
      Sim, é uma leitura muito divertida e intrigante, cheia de revelações e reflexões, sem deixar a magia de lado! Confesso que esse toque nada convencional da mocinha ir para escola do mal e a "maligna" ir para o bem foi o que mais me deu anseio de ler este livro e quando descobrimos o por quê da troca, da uma vontade de gritar por ai! kkk O livro faz parte de um trilogia, em breve espero a tradução da continuação ><
      Leia sim, vale muito a pena!

      Beijos linda, obrigada por comentar ♥

      Excluir