Autora: J. K. Rowling
Editora: Rocco
Páginas: 107
Gênero: infantojuvenil; fantasia
Ano: 2008
ISBN: 9788532516015

     Traduzido das runas originais por Hermione Granger, Os Contos de Beedle, o Bardo reúne cinco histórias de carochinhas para crianças bruxas. Este livro foi citado pela primeira vez em Harry Potter e as Relíquias da Morte, onde Alvo Dumbledore deixa de herança a Hermione uma cópia do livro original de Beedle, de forma a introduzir as relíquias da morta através do “O conto dos três irmãos”.
     Esses contos escritos por Beedle no século XV são o que seria para nós histórias para dormir, de forma a familiarizar os pequenos bruxinhos com seus dons e explicar a eles do que podem ou não fazer com magia.
     Além disso, no final de cada conto há um breve comentário de Alvo Dumbledore sobre o conto em si, além de contar histórias passadas de Hogwarts. E no rodapé se encontra algumas outras explicações de Dumbledore e de Rowling sobre a atual situação de Hogwarts.

O bruxo e o Caldeirão Saltitante, era uma vez um bruxo muito bondoso que usava sua magia para ajudar os vizinhos. Seu filho não gostava muito das atitudes do pai e de seu caldeirão que continha um pé – por onde seguia o dono dando saltos. Em um belo dia o pai do bruxo morre, deixando para ele o caldeirão e uma pantufa. O menino, achando tudo um absurdo, joga a pantufa dentro do caldeirão e ignora os pedidos de ajuda dos vizinhos. Qual não foi sua surpresa quando o caldeirão decide dar uma lição ao jovem bruxo?!

A Fonte da Sorte, era uma vez uma fonte que todo ano deixava que apenas uma pessoa se banhasse dela. Aquele que se banhasse nela ganharia sorte para o resto da vida. Conhecemos assim três bruxas que esperavam na fila, sendo elas: Asha, Altheda e Amata. A primeira sofria de uma doença que ninguém conseguia curar. A segunda teve seus bens roubados e a terceira fora abandonada pelo homem que amava. Comovidas com a história uma das outras, prometeram que se uma delas fosse escolhidas daria um jeito de levar as outras consigo, mas e se um cavaleiro resolvesse ir com elas disputar a sorte da fonte?

O Coração Peludo do Mago, era uma vez um mago que não queria amar. Achava que a fraqueza de um bruxo era se render ao amor e convicto desta ideia usa da magia negra para nunca mais amar, transferido seu “maior tesouro” a masmorra. Feliz consigo, achando que causaria inveja aos demais se gabava aos outros de sua situação de não amar. Contudo, levou um grande susto ao notar que na verdade as pessoas tinham pena do mesmo. Assim ele parte em busca de uma bruxa para esposá-la apenas por luxuria. Porém o “pobre” bruxo não entende que com o coração não se brinca.

Barbbitty, a Coelha, e seu Toco Gargalhante, era uma vez um rei que decidiu que somente ele poderia usar poderes mágicos e assim abre uma caça aos bruxos da região, entretanto no mesmo dia anuncia que precisava de um bruxo para lhe ensinar magia. Os bruxos, por estarem sendo caçados, ignoram o anuncio, mas um esperto charlatão decide se aproveitar da situação engana o rei com truques bobos. Ao longe Barbbitty, uma velha lavadeira observa tudo com grandes gargalhas, intrigando o rei e ameaçando o segredo do Charlatão.

O Conto dos Três Irmãos, era uma vez três irmãos que estavam numa longa viagem. No meio do caminho encontram um lago que não podia ser atravessado a nado. Assim os três tiram suas varinhas e usando magia criam uma ponte. Na ponte encontram A Morte, que fica brava e encantada por ter sido vencida pelos três e resolve dar-lhes o presente que quisessem. O mais velho pede a varinha das varinhas, uma varinha digna a quem venceu a morte. O segundo pede a ela uma pedra que pudesse ressuscitar os mortos e o caçula, e o mais esperto, pede a capa da invisibilidade. Diz à lenda que o bruxo que as possui se torna O Senhor da Morte. Os irmãos toda via não sabiam que quando a morte ultrapassa seus caminhos, ela sem dúvida volta com sede ainda maior de vingança, pois afinal, não se pode vencer a morte.

     A sensação de qualquer pessoa que lê esses contos é se sentir uma criança bruxa! A cada livro que leio de Rowling sobre este universo me convenço mais que realmente existe um mundo mágico por aí.

Deixe um comentário